Chiefs se impõe do inicio ao fim e está de volta ao Super Bowl

Os Chiefs de Andy Reid não tomaram conhecimento dos Bills assim como na temporada regular. Venceram com propriedade, sem dar margem para o adversário e estão no Super Bowl novamente.

INICIO ANIMADOR DOS BILLS

No começo da partida, com certeza todos que estavam torcendo para o Buffalo Bills se animaram. No primeiro drive da partida, Josh Allen comandava o ataque de forma promissora, avançando contra a defesa dos Chiefs com coragem e até convertendo uma quarta descida. Mas, na beira da endzone, a defesa de Kansas City ergueu o muro e conseguiu parar Josh Allen, e os Bills saíram de campo com apenas um field goal.

Seria decepcionante, já que contra os Chiefs de Patrick Mahomes o ideal é sempre anotar um touchdown. Mas, com o possante ataque dos Chiefs em campo, nada feito. A defesa força um 3&out para Mahomes e companhia. Era hora de abrir vantagem.

Setor ofensivo dos Bills em campo novamente, o ideal seria uma campanha longa para manter Mahomes fora de campo e ainda anotar um touchdown. O inicio do drive parecia que seria favorável para os Bills, com Allen em movimento correndo para 17 jardas, em uma terceira descida para conquistar 3 jardas. Mas, na jogada seguinte, Allen sofre um sack e perde 15 jardas. Ou seja, todo o avanço conseguido, virou pó. Na jogada seguinte, Allen corre novamente, conquista mais 15 jardas, mas não o suficiente para garantir a primeira descida. Punt.

MERCOLE HARDMAN, O SALVADOR DA BILLS MÁFIA

A torcida dos Bills já estava preocupada, apenas três pontos de vantagem sobre o Kansas City Chiefs é como se a partida ainda estivesse 0 a 0. Enquanto por outro lado, a torcida dos Chiefs, esquentavam suas mãos coma possibilidade de Mahomes voltar a campo e operar mais uma vez a defesa adversária.

Buffalo Bills at Kansas City Chiefs: Live updates from AFC Championship  Game - syracuse.com
Hardman entregou aos Bills sua melhor posição de campo (AP Photo/Jeff Roberson)

O punter Bojorquez em campo, chuta até a linha de 11 jardas de Kansas City, Mercole Hardman, sozinho e antes do contato, solta a bola, em cima da linha de uma jarda da endzone, que é recuperada pelos Bills. Mahomes volta para o banco, ainda não era sua vez. Hardman deu aos Bills, a melhor posição de jogo de um ataque na partida até então.

E Josh Allen não desperdiçou. Uma jogada apenas foi suficiente para que ele encontrasse o TE Dawson Knox livre para entrar na endzone e anotar o touchdown. Mais seis pontos no placar, já que o kicker Tyler Bass errou o extra point.

MAHOMES E O SHOW OFENSIVO DE ANDY REID

Agora sim, Mahomes em campo. Com uma desvantagem de 9 pontos. O que não seria nenhum problema para ele ou para o excelente ataque montado por Andy Reid. Sem muita efetividade do jogo corrido, Mahomes, como sempre, encontrava seus alvos livres, estendia jogadas que pareciam mortas e ele, sempre ele, Travis Kelce, castigava a defesa dos Bills.

Com controle do relógio e sem correr nenhum risco de turnover, o ataque dos Chiefs ia avançando em campo, sem maiores dificuldades. O pass rush dos Bills não incomodava o quarterback adversário, o que quer dizer que Mahomes tinha tempo para operar a defesa em paz. E foi o que ele fez.

Dez jogadas, 80 jardas e quase sete minutos de relógio no bolso: Touchdown Kansas City com Mercole Hardman. Mas os Bills ainda estavam na frente e era hora de Josh Allen colocar na mesa toda a sua evolução e justificar porque para alguns, ele estava na briga pelo MVP da temporada, concorrendo inclusive com o adversário da noite.

SAME OLD BILLS, SAME OLD KANSAS CITY

O maior avanço dessa campanha para Buffalo foi uma falta de força excessiva em cima de Stefon Diggs, mas fora isso, nenhum avanço significativo. O jogo corrido não entrava, os alvos estavam bem marcados e para piorar para os Bills, Allen não tinha paz no pocket para lançar. Com a pressão chegando, Allen comete um Intentional Grounding e com isso se acaba mais uma campanha dos Bills. Sem pontuação. Nesse momento da partida, já era de se imaginar o que estava por vir.

Patrick Mahomes (camisa 15) escapa da pressão do marcador dos Bills: quarterback liderou os Chiefs — Foto: Denny Medley-USA TODAY Sports
Mahomes mostrou porque é o melhor jogador da NFL (Denny Medley-USA TODAY Sports)

Dessa vez, Mahomes não precisou de muito tempo. Menos de três minutos e 5 jogadas foram mais que suficientes para que os Chiefs assumissem o placar. Destaque para a primeira jogada do drive, Mercole Hardman em uma rota end around consegue conquistar 50 jardas de avanço. Seis jardas de corrida para Damien Williams finalizar o drive dentro da endzone.

O placar ainda estava parelho, uma posse de bola de diferença apenas. Mas, à essa altura, todo mundo já estava pensando que os Chiefs não perderiam a partida para os Bills. Não porque os comandados de Andy Reid estavam fazendo mágica. Mas porque os comandados de Sean McDermott não apresentavam qualquer solução contra o ataque adversário e pior: Não apresentavam qualquer solução para furar a defesa dos Chiefs.

Ataque de Buffalo novamente em campo, 3&out. Sem chances para avanços. Enquanto do outro lado, toda vez que entrava em campo, exceto na primeira campanha, os Chiefs anotavam touchdown. E dessa vez não foi diferente. Com nove jogadas apenas, os Chiefs já estavam entrando na endozone e anotando mais sete pontos. Detalhe que até aqui, os Chiefs pouco corriam com a bola, o que poderia deixar o ataque previsível. Mas não o ataque de Andy Reid comandado por Patrick Mahomes e com uma ajuda da defesa dos Bills, que parecia perdida em campo.

COVARDIAS NÃO SÃO PREMIADAS NOS PLAYOFFS DA NFL

Isso é uma máxima que com certeza esse ano foi afirmada pelo campo. Perdendo por 21 a 9, os Bills voltam a campo e finalmente seu ataque volta a dar as caras na partida. Também sem jogo corrido, Josh Allen vai conectando passes e encontrando formas de avançar no campo. Em 4 minutos, o ataque dos Bills avança 73 jardas. Chega até a linha de duas jardas do campo de ataque.

E, na pior decisão que poderia ser tomada, em uma quarta descida para o gol, os Bills decidem chutar o field goal. Na linha de duas jardas. Contra o Kansas City Chiefs. No Arrowhead Stadium.

Assim como no jogo da NFC, os Packers foram punidos pela covardia de chutar um field goal quando precisava de um touchdown, os Bills correram esse risco. E os deuses da bola não perdoaram.

THE JOSH ALLEN EXPERIENCE

Esse deveria ser o nome do tape para analisar esse jogo específico do quarterback dos Bills. Se era o jogo para ele provar a sua evolução, tudo que ele provou foi que sim, evoluiu, mas ainda precisa de um longo caminho a ser percorrido. Sinceramente, o jogo já tinha sido ganho para Kansas City na decisão de chutar o field goal no final do primeiro tempo. Para todos que estavam assistindo a partida, a sensação era a mesma: Os Chiefs já haviam ganhado o jogo.

No primeiro drive da partida após o intervalo, o primeiro field goal dos donos da casa. No drive seguinte, field goal para os visitantes também. Mais uma campanha e de novo o ataque de Kansas operando os Bills. Tyrek Hill recebe passe curto de Mahomes mas, avança 70 jardas através da defesa dos Bills. Nenhum problema para anotar o touchdown, conectando um passe com Travis Kelce.

Bills: Fans had jokes on Josh Allen tossing ball at defender's head
Josh Allen mostra evolução constante (USA Today)

E ai vem o drive que podemos denominar como: A Essência da Experiência Josh Allen. Durante a partida, em alguns momentos, Allen demonstrou que não estava confortável na partida. Isso porque o pass rush dos Chiefs não dava paz para o quarterback realizar as suas leituras e conectar seus passes.

JOGO CORRIDO INEXISTENTE

Além disso, seu jogo corrido não funcionava. Nem Singletary nem Yeldon. Nenhum dos dois conseguia o mínimo de sucesso em suas corridas, isso porque a defesa de Kansas City não deixava nenhum gap para ser aproveitado. Tudo isso culminou em um jogo puramente de passe para Josh Allen.

Pressionado, previsível em um jogo que valia o Super Bowl para ambos times. Foi a receita para o desastre. Allen não conseguia conectar passes, isso porque a defesa de Kansas City fechava muito bem seus alvos. Prova disso é Stefon Diggs. O alvo preferido de Allen terminou o jogo com apenas 6 recepções e 77 jardas.

Precisando forçar mais os passes, era inevitável o que aconteceria no drive seguinte. Mesmo com um drive longo e conseguindo encontrar alguns passes, Allen lançou uma interceptação. Interceptação que foi capitalizada pelos Chiefs, isso porque, excetuando a primeira campanha, todas as vezes que o ataque dos Chiefs entrava em campo, anotava pontos.

FIM DE TEMPORADA, MAS UMA BOA PERSPECTIVA DE FUTURO PARA OS BILLS

A essa altura da partida, o resultado já era mais que certo. Isso porque a imposição de Kansas City era tamanha que não era possível observar nenhuma brecha no seu plano de jogo para traçar um plano de como os Bills conseguiriam reverter uma situação muito mas muito complicada.

Os Bills ainda conseguiriam anotar mais um touchdown e um field goal, porém o clima já era de garbage time para os Chiefs. Dominante do inicio ao fim, sem dar brechas para o bom time de Buffalo, os Chiefs vencem e chegam ao Super Bowl pela segunda vez seguida.

O adversário? Tampa Bay Bucaneers de Tom Brady. Aliás, Brady segue sendo o único quarterback a ganhar um jogo de playoff de Patrick Mahomes.

No Super Bowl, Mahomes terá a chance de fincar sua dinastia na NFL. Para isso, terá que enfrentar outra dinastia. Isso porque do outro lado terá Tom Brady que, sozinho, é uma dinastia na NFL.

Tauany Rodrigues

Tauany Rodrigues

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: