Quem foi o Kansas City Chiefs nessa temporada?

O cenário na AFC se repetiu. O atual campeão da conferência conseguiu o bicampeonato e agora busca repetir o sucesso que teve no Superbowl LIV. Vamos entender como foi a campanha dos Chiefs nessa temporada atípica, levando em consideração os fatores que levaram o time até aqui e o que esperar deles na grande final. 

Pré-temporada 

KC teve a escolha 32 na primeira rodada do 2020 NFL Draft, a última escolha. O time optou por selecionar o primeiro RB a sair nesse draft, visto que a classe de prospectos nessa posição não era das melhores. Apesar disso, o calouro Clyde Edwards-Helaire, vindo de LSU, teve um bom ano. 

O RB Clyde Edwards-Helaire, calouro dos Chiefs.

O início sua carreira foi sensacional, porém, infelizmente, o novato sofreu com algumas lesões que complicaram a segunda metade da temporada. Ele teve uma partida bem ruim na final de conferência contra os Bills e é difícil de prever qual será sua contribuição no Superbowl. O restante da classe de calouros não apresentou grandes contribuições, com jogadores cumprindo papéis de rotação no elenco. 

Na comissão técnica, houveram apenas duas mudanças: um novo coordenador para o ataque aéreo e uma troca de nomes de assistente do coordenador do time de especialistas. Andy Reid continuou a chamar as jogadas do ataque, com Eric Bienemy sendo o coordenador ofensivo e Steve Spagnuolo (que enfrentará Tom Brady novamente em um Superbowl) como o coordenador defensivo. 

Na free agency os Chiefs conseguiram se reforçar. Das perdas, nenhuma considerável, sendo que os jogadores que saíram eram de rotação. Foi considerável a limpa no corpo de RB’s, com a saída de 3 jogadores. Entre os que chegaram, também não trouxeram grandes impactos. Eventualmente muitos atletas chegaram para o practice squad, enquanto que outros chegaram para ocupar posições de rotação no elenco. 

O elenco (ataque)

Entre as unidades do elenco dos Chiefs, há um consenso de que o ataque é o que levou o time a tamanho sucesso. Não tem como ser o contrário, já que a equipe conta com o incrível e mágico Patrick Mahomes

O QB recebeu na intertemporada o maior contrato da história da NFL em todos os sentidos. Depois de levar o time a vitória do Superbowl LIV e ser o MVP da partida, o front office agiu rápido para manter o franchise quarterback por lá. Além disso, não teve fama e fortuna subindo a cabeça, já que Mahomes teve mais uma temporada incrível que garantiu os Chiefs com a melhor campanha da liga na temporada regular e vitórias contundentes nos playoffs. 

Esse ataque incrível é completado com mais dois jogadores que estão no topo de suas posições. Travis Kelce é, discutivelmente, o melhor tight end da NFL no momento. Seus números são impressionantes: ele foi o segundo na liga em jardas recebidas entre todos os jogadores. Kelce vem apresentando desempenhos sensacionais ano após ano e garantindo com facilidade sua vaga na Hall of Fame. 

Para completar o trio de ataque temos Tyreek Hill. O WR que parece ser o jogador mais rápido da liga, causa desespero para secundárias. Com sua velocidade impressionante e um QB que possui grande facilidade para passes longos, a qualquer momento Hill pode ter uma recepção explosiva e mudar o momento de uma partida. 

O elenco (defesa)

A princípio a defesa de Kansas City não é tão boa quanto seu ataque, mas também não é uma das piores da liga. O time se apoia em alguns excelentes jogadores de sua unidade defensiva e dos esquemas agressivos de Spagnuolo. 

O desempenho defensivo pode ser um fator essencial. (Créditos: Jay Biggerstaff-USA TODAY Sports) 

No front seven temos dois pro bowlers em Chris Jones e Frank Clark. Os dois foram os líderes em sacks do time, com 7,5 e 6 respectivamente. A equipe não teve um excelente desempenho em pressionar os QB’s adversários ou forçar turnovers, mas fez o suficiente para ajudar o time a vencer jogos. 

Na secundária, o líder é Tyrann Mathieu. O safety foi escolhido para mais um Pro Bowl e vem se tornando cada vez mais um líder da defesa e uma estrela na liga. O honey badger teve 6 interceptações (sua melhor temporada da carreira nessa estatística) e foi consistentemente um dos melhores da defesa contra o passe. 

Pontos fortes 

Mahomes busca levar o Chiefs ao bicampeonato. (Créditos: Colin E Braley/AP/Shutterstock) 

Com certeza o forte do campeão da AFC é seu ataque. Andy Reid sempre foi reconhecido por montar ataques fortes e, agora que ele encontrou um QB que está no ritmo para ser um dos melhores da história, sua mente está livre para se divertir. Mahomes todo jogo nos presenteia com jogadas inacreditáveis e, vide o Superbowl da temporada passada, já provou que tem a capacidade de virar jogos. 

Contra uma secundária que cede muitas jardas, as atenções estarão em Kelce e Hill. Ambos estiveram no top 10 em jardas recebidas e foram bem nos dois jogos dos playoffs. Mahomes adora encontrar Kelce quando o jogo está complicado e parece que a conexão entre os dois é inquebrável. 

Pontos fracos 

A defesa dos Chiefs não é horrível, mas é o ponto fraco da sua equipe. Na segunda metade da temporada, KC venceu muitos jogos com um placar bem apertado. Isso levou muitos a questionarem se a defesa não sucumbiria em momentos mais importantes, como nos playoffs. 

Não foi o que aconteceu e é isso que os torcedores esperam que aconteça nesse domingo. Ao enfrentar um ataque capitaneado por um dos melhores QB’s da história, os defensores dos Chiefs terão muito com o que se preocupar. Nos jogos que perdeu no Superbowl, Brady foi muito pressionado durante as partidas. 

A dúvida que resta é se Kansas City será capaz de vencer a batalha contra a forte linha ofensiva de Tampa e conter o ataque aéreo também. 

Alberto Torres

Alberto Torres

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: