Ravens vs Bills: Prévia do Divisional Round da AFC

O ano dos dois jovens quarterbacks dessas duas franquias foram bem distintos. Se de um lado, Lamar Jackson, MVP da temporada passada, não teve uma temporada tão explosiva com os Ravens, do outro, Josh Allen mostrou um salto de qualidade e uma grande evolução em relação a sua temporada anterior. Mas, o confronto entre ambos nos playoffs é a hora perfeita para cada um mostrar suas ferramentas.

O ANO DO BALTIMORE RAVENS

Não foi nada parecido com a temporada anterior. Lamar Jackson, que teve tanto sucesso, oscilou demais. Nada que seja tão preocupante, afinal o ano de 2019 dele foi absurdamente acima da média. Era até natural que ele apresentasse uma queda em sua produção, já que os times estariam mais preparados para ele.

Fora isso, os Ravens esbarraram em um problema: O jogo aéreo. Longe de ser ruim, mas de longe o aspecto do jogo que mais é instável em Lamar, os Ravens não conseguiram ter um ataque aéreo consistente. Jackson terminou a temporada como apenas o 26º melhor passador da liga de acordo com o Pro Football Reference e segundo o ranking da ESPN, o time ficou em último do ranking de jardas passadas por jogo.

Lamar Jackson (Ravens)
Lamar resolveu correndo, mas passando não teve muito sucesso. (Créditos: Divulgação Baltimore Ravens)

Contra defesas que estavam preparadas para parar o jogo corrido e minimizar o impacto terrestre de Lamar Jackson, os Ravens enfrentavam dificuldades nas partidas. Exemplo disso, a partida contra os Patriots. A defesa de New England não é das melhores contra o jogo corrido, mas conseguiu conter Jackson e as corridas de Baltimore. Resultado: Quando precisou do ataque aéreo, não teve. E perdeu o jogo.

Esse é só um exemplo para entender como foi o ano dos Ravens ofensivamente. Do outro lado da bola, foi diferente, apesar de problemas.

A FORÇA DEFENSIVA

Se o ataque enfrentava problemas, a defesa de Baltimore era uma das melhores da liga. De acordo com o ranking da ESPN, a defesa dos Ravens foi a sétima melhor da NFL na temporada regular. E não era de se esperar mesmo um desempenho fraco de uma defesa com bons nomes como de Yannick Ngakoue, Matthew Judon, Marcus Peters e o rookie candidato a calouro defensivo do ano, Patrick Queen.

Defensive Rookie of the Year? (Créditos: Associated Press)

Mas, a unidade defensiva sofreu algumas oscilações durante o ano, e justamente nessas partidas, onde o ataque não conseguia resolver e a defesa não conseguia performar melhor, que morou o problema de inconstância do Baltimore Ravens.

WILD CARD ROUND

Os Ravens fizeram um jogo menos equilibrado do que o placar mostra contra os Titans. Mesmo saindo atrás no placar e vendo a desvantagem ser de 10 pontos, os comandados de John Harbaugh retomaram as rédeas da partida logo cedo. Lamar Jackson mais uma vez resolveu com as pernas e a defesa conseguiu anular Derrick Henry, um dos candidatos a MVP da temporada. Henry foi limitado a apenas 40 jardas, com uma média de 2.2 jardas por corrida. Um excelente trabalho que coloca o time no Divisional Round, um passo mais perto do Super Bowl.

O ANO DOS BILLS

O ano dos Bills foi maravilhoso. Isso porque os Bills tiveram um desempenho fantástico durante a temporada não apenas ofensiva mas defensivamente falando também. E o ano pode acabar muito melhor para os comandados de Sean McDermott.

Isso porque, pela primeira vez em muito tempo, os Bills têm reais chances de irem ao Super Bowl. Consistência e bola para isso, eles estão mostrando. Josh Allen mostrou uma evolução e maturidade surpreendentes desde o ano passado. E para completar, ganhou um alvo e tanto: Stefon Diggs. Simplesmente o líder em jardas recebidas da NFL no ano.

O Melhor WR da NFL na temporada. (Créditos: Getty Images)

E não é como se o ataque dos Bills fosse apenas Diggs. Ainda conta com os bons WRs John Brown e Cole Beasley. No jogo corrido, Devin Singletary, T.J. Yeldon. Talvez o TE seja o ponto mais fraco dessa unidade. Mas, o ataque dos Bills não seria essa pontência sem Josh Allen.

Allen é o 3º melhor quarterback da liga em QBR segundo a ESPN. E mais do que melhorar os seus stats, Allen melhorou alguns outros aspectos do seu jogo que o fazia um quarterback imprevisível mas de maneira ruim. O braço nunca foi um problema para o camisa 17, muito pelo contrário. Mas, as leituras de jogo, tomada de decisão e precisão eram pontos que precisavam ser evoluídos. E evoluíram. Allen é hoje, nessa temporada, um quarterback top 5 da NFL. Se tivesse sido constante, brigaria cabeça com cabeça com Aaron Rodgers e Patrick Mahomes pelo MVP da temporada.

Josh Allen: A maior evolução da NFL nessa temporda (Créditos: Rich Barnes/USA TODAY Sports)

SUCESSO TAMBÉM NA DEFESA

Os Bills são, também segundo ranking da ESPN, a 14º melhor defesa da NFL. E o time tem grandes nomes que ajudam a unidade defensiva a ter esse sucesso. Ed Oliver, Tremaine Edmunds e Tre’Davious White são alguns nomes dessa forte defesa que foi um dos pilares do sucesso dos Bills na temporda.

A defesa já era uma boa defesa na temporada passada, mas nessa temporada mostrou mais consistência. Pensando no confronto do Divisional Round, não é como a defesa dos Ravens mas ainda sim, é uma forte defesa.

Talvez os Bills sejam o time que mais mostrou evolução de uma temporada pra outra. Não apenas Allen, mas o time como um todo. Ponto para o ótimo trabalho de McDermott no comando desse time.

WILD CARD ROUND

Apesar de um time em evolução aparente, os Bills não foram tão constantes assim durante a temporada e isso se refletiu no jogo contra o Indianapolis Colts. O jogo foi equilibrado como era de se esperar, mas não tanto. O jogo corrido teve dificuldade contra a ótima defesa dos Colts, e não ajudou Josh Allen. Quem, mais uma vez resolveu no ataque foi Stefon Diggs. O WR, que é o principal alvo de Allen na temporada, fez toda diferença em momentos cruciais da partida, que terminou com apenas 3 pontos de vantagem para os Bills.

O QUE ESPERAR DESSE DIVISIONAL ROUND?

Um jogo tenso e equilibrado. Se de um lado, Josh Allen pode resolver no braço, do outro Lamar já resolveu muito com as pernas e pode resolver novamente. O ponto é: É a chance da vida para os dois quarterbacks de consolidarem mais os seus nomes na NFL.

Isso porque Jackson, mesmo sendo MVP em 2019, carrega o estigma de não ter jogado bem nos playoffs, contra os Titans no wild card da temporada passada, onde os Ravens foram eliminados e Lamar não jogou bem. Mesmo dando o troco nesse ano, ainda existe uma certa desconfiança em cima do jovem quarterback em jogos de pós temporada e contra um adversário forte como os Bills, é a chance dele de provar que veio pra ficar, inclusive nos playoffs.

Josh Allen tem sua primeira chance de levar os Bills além. No wild card dessa temporada, em momentos cruciais, Allen não errou, soube administrar a ansiedade e se mostrou pronto para momentos de decisão. Mas, frente a uma defesa como a dos Ravens, vai ser a maior prova que sua evolução terá até aqui.

No duelo defensivo, por mais que a defesa dos Bills seja uma boa unidade, há uma vantagem para os Ravens. Porque além de mais experiente, é uma defesa mais sólida, que passa mais segurança para o torcedor.

Se eu tivesse que apostar nesse jogo, eu não colocaria mais do que 5 reais. O confronto promete ser equilibrado e decidido nos detalhes.

Article Categories:
Prévias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: