PERFIL: TAMPA BAY BUCCANEERS

O Super Bowl LV está chegando e com ele muita atenção para os dois times que estarão na disputa. Tampa Bay Buccaneers e Kansas City Chiefs se enfrentarão no Raymond James Stadium para saber quem leva o Troféu Vince Lombardi. Aqui você irá conhecer um pouco mais dos Buccs.

PRÉ – TEMPORADA: FREE AGENCY, PREPARAÇÃO, DRAFT…

A pré – temporada dos Buccs foi uma das mais agitadas da NFL. Isso porque o time foi às compras na free agency e abriu as portas para nomes bem impactantes. Fora isso, o impacto da aquisição de um jogador do tamanho de Tom Brady, sacudiu as terras da Flórida.

Tom Brady desembarcou na Flórida após 20 anos nos Patriots. Nesses 20 anos em New England, Tom Brady ganhou 6 anéis de campeão do Super Bowl e ajudou a construir uma das mais sólidas dinastias da NFL. Mas seu tempo sob o comando de Bill Belichick acabou e sua chegada aos Buccs transformou o patamar do time. Se antes, sob o comando de Jameis Winston, o time dava a impressão de que podia mais, sob as mãos de Tom Brady, a expectativa era que o time virasse uma máquina.

Tom Brady com a camisa dos Buccs
A principal adição dos Buccs: Tom Brady. (Créditos: Kim Klement-USA TODAY Sports)

Além disso, outros nomes importantes foram contratados na free agency: Ndamukong Suh, IDL; Shaquill Barrett, EDGE; Leonard Fournette, RB e o parceiro de dinastia de Brady, o TE Rob Gronkowski. LeSean McCoy foi outro nome de impacto na liga adicionado ao elenco de Bruce Arians. Nomes de peso para um time que almejava voos ousados na temporada.

DRAFT

Os dois primeiros jogadores draftados pelos Buccs, trouxeram impacto imediato ao time. Isso porque o OT Tristan Wirfs e o S Antoine Winfield Jr. fincaram seus nomes no time titular logo de cara. O running back Ke’Shawn Vaughn, escolha de terceira rodada, foi bastante utilizado em jogadas específicas durante o ano e foi importante também. Um bom draft dos Buccaneers que sem dúvida ajudou o time a chegar ao Super Bowl.

Primeira escolha do draft, Tristan Wirfs (Buccs)
Tristan Wirfs, primeira escolha do Draft dos Buccs, causou impacto imediato. (Créditos: liff Welch/Icon Sportswire)

A pandemia de COVID -19 atrapalhou um pouco os planos dos times e o training camp. Talvez isso explique o time ter demorado para engrenar na temporada, ou talvez as expectativas que estavam muito altas…

ELENCO

ATAQUE

O ataque dos Buccs é impressionante. Em todos os setores, o time é muito bem servido. E não é dessa temporada. Mas, sem um quarterback confiável, o potencial desse time ainda era limitado. Com a adição de Tom Brady, o ataque com certeza subiu alguns degraus na liga.

QUARTERBACK

Tom Brady dispensa apresentações. O maior jogador da NFL de todos os tempos pode até ter sofrido algumas oscilações durante a temporada – Como por exemplo o confronto contra os Saints na temporada regular – mas, se algum jogador da liga sabe exatamente a hora certa de subir o nível e elevar o ataque do seu time, é Tom Brady. Os números podem não ser impressionantes se comparados a Patrick Mahomes por exemplo, mas a eficiência de Brady é incontestável.

CORPO DE RECEBEDORES

Mike Evans, Chris Godwin, Antonio Brown, Scotty Miller são os WRs principais do elenco. Poucos times na NFL podem ostentar tantos talentos e principalmente, pode ter uma dupla de WRs do calibre de Evans e Godwin. Isso porque ambos se completam. Se Evans é ameaça constante em profundidade, Godwin explora bem o meio do campo e a velocidade. O time ainda conta com Antonio Brown, que na sua época de Steelers, era um dos melhores WRs da liga. Hoje Brown não tem o protagonismo de antes, mas ainda é um WR seguro, bom corredor de rotas e em bolas contestadas.

Mike Evans, arma perigosa em profundidade. (Créditos: Roy K. Miller/Icon Sportswire)
TIGHT ENDS

Cameron Brate, apesar de dividir a posição com Rob Gronkowski, ainda é o principal TE da equipe. Isso porque Brate é mais envolvido no plano de jogo e atua melhor como um recebedor. Gronk, depois de um ano parado, voltou para reeditar a dupla de sucesso com Tom Brady e até aqui vem funcionando. Mesmo com Brate sendo o TE um da equipe, Gronkowski sempre surge em chamadas específicas. E geralmente, dá certo.

RUNNING BACKS

Os corredores de Tampa não deixam nada a desejar para o estrelado corpo de WRs do time. Se na posição de WR, o time pode contar com nomes de peso como Mike Evans e Chris Godwin, nos seus corredores podemos encontrar nomes como Leonard Fourtnette. E Fournette não é o principal corredor da equipe. Ronald Jones II é o principal jogador do apoio terrestre desse ataque. Mas isso em nada diminui a importância de Fournette no time, principalmente em situações de power run. LeSean McCoy e Ke’Shawn Vaughn completam o sólido corpo de corredores desse elenco que é bem completo, mas que deixou a desejar durante a temporada.

DEFESA

É uma unidade bem sólida. A oitava melhor defesa da temporada segundo a NFL. O time tem um dos melhores pass rush da liga, com Barrett e Jason Pierre – Paul, que pressionam muito o quarterback adversário (vide NFCCG contra os Packers). Além disso, ainda tem uma secundária bem confiável, que consegue conter bem o jogo aéreo dos adversários.

Shaquill Barrett, um dos melhores jogadores dessa boa defesa dos Buccs. (Créditos: Cliff Welch/Icon Sportswire)

Um ponto negativo dessa defesa é parar o jogo terrestre. Isso porque a defesa encontra dificuldades para parar os running backs adversários, e, contra times com forte jogo corrido, pode ser um problema. Mas, no conjunto da obra, a defesa dos Buccs é uma unidade de causar inveja para muitas franquias da NFL, mesmo apresentando problemas e não sendo uma defesa tão dominante em comparação com times como Steelers e Saints.

PONTOS FORTES

Sem dúvida, o principal ponto forte dos Buccaneers é o ataque aéreo. Isso porque são muitas armas que podem ser utilizadas de diversas maneiras e armas que são de muita qualidade. No comando, um jogador do tamanho e da habilidade de Tom Brady. Não poderia ser diferente: É o principal ponto forte desse time. Mas não é o único.

Outro ponto forte desse time está do lado defensivo da bola. O pass rush. Um dos principais pontos em se vencer um oponente no futebol americano, é tirar o conforto do pocket do quarterback adversário. E isso é uma das principais qualidades que os comandados de Bruce Arians têm. Isso porque conta com jogadores que conseguem elevar o pass rush à um nível que incomoda demais os adversários.

PONTOS FRACOS

Um dos principais pontos fracos do time também vem do ataque. Se o principal ponto forte é o ataque aéreo, o principal ponto fraco é o jogo corrido. Isso porque o jogo terrestre dos Buccs aparece, em vários rankings especializados, como um dos piores times correndo com a bola nessa temporada.

Isso acaba prejudicando o uso do play action e o desenvolvimento do jogo aéreo, uma vez que o jogo corrido não é capaz de atrair a atenção dos defensores adversários o suficiente para liberar os recebedores para percorrerem suas rotas ou simplesmente para confundir as defesas.

Tirando o jogo corrido, os Buccs não apresentam mais pontos fracos muito claros. Isso não quer dizer que eles não existam. Mas que não são tão relevantes assim.

Fato é que o time dos Buccaneers já era um bom time, mas com as adições da pré – temporada, o time deu um grande salto de qualidade e está há apenas um passo de ser o primeiro time a conquistar o Vince Lombardi em seus domínios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: